Nota metodológica dos indicadores anuais de produtividade do trabalho no Brasil desde a década de 1980

Com o fim do bônus demográfico, a única forma de aumentar a renda per capita do Brasil nas próximas décadas será por meio da elevação da produtividade do trabalhador. Por isso, discussões sobre o tema da produtividade ganham cada vez mais importância no meio acadêmico e entre os formuladores de política econômica.

A literatura recente tem enfatizado a importância de analisar o comportamento da produtividade do trabalho para entender a perda de dinamismo da economia brasileira. Em particular, Bonelli (2014) mostrou que cada vez mais o crescimento econômico está dependente do crescimento da produtividade, ao passo que quando se compara os triênios 2008 a 2010 e 2011 a 2013, é possível concluir que a queda da produtividade do trabalho observada no período explica quase um terço do crescimento do PIB nestes anos.

Em função disso, construímos indicadores de produtividade desde o início da década de 80 que permitem uma visão de longo prazo do principal motor do crescimento econômico. São calculados indicadores de produtividade usando duas medidas do fator trabalho: população ocupada e horas trabalhadas.

Esta nota técnica, que é uma expansão de Veloso, Matos e Peruchetti (2019), para o agregado da economia, tem o objetivo de descrever o processo de construção dos indicadores anuais de produtividade da economia brasileira desde 1981.

Clique aqui para baixar o arquivo completo

Subir